Novo secretário de Segurança Pública de SC diz que quer diminuir taxa de homicídios - Rádio Sentinela do Vale

Gaspar / SC
25 de Fevereiro de 2018

Página Inicial Rádio Sentinela do Vale!

Rádio Sentinela do Vale



Novo secretário de Segurança Pública de SC diz que quer diminuir taxa de homicídios

08/02/2018 11:10

Anunciado na terça-feira (6) como novo secretário da Segurança Pública de Santa Catarina, o professor de direito Alceu Oliveira Pinto, quer diminuir a taxa de homicídios no estado para o nível aceitável pela Organização das Nações Unidas (ONU), que é de 10 para cada 100 mil habitantes. Atualmente, esse índice é de 14 para cada 100 mil habitantes. Ele concedeu entrevista ao Jornal do Almoço desta quarta-feira (7).

Alceu Oliveira assumirá o cargo no lugar de César Grubba, que deixa a secretaria.

"Até a metade do ano, [o objetivo é] a gente baixar bastante essas estatísticas. Não se espera milagre de zerar homicídio, isso nunca existiu na história. Não se espera um resultado absurdo de abaixo de cinco mortes a cada 100 mil habitantes. Mas se conseguirmos deixar estabilizado num patamar de até 10 mortes para cada 100 mil habitantes, nós estaremos acompanhando índices de excelência internacionais", disse o novo secretário.

Perfil

Até agora, o único cargo político que Alceu ocupou foi de procurador-geral na Câmara de Vereadores de Florianópolis, durante um ano. A atuação dele mais intensa foi de advogado na área penal, muitas vezes defendendo presos.

Desde a década de 1990, é professor e ocupa cargos de coordenação na Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Com experiência em sala de aula, o maior desafio será colocar em prática o que ele ensina há 23 anos no meio acadêmico.

Nesse período, sem nunca ter tido uma filiação partidária, ficou conhecido por fazer duras críticas ao sistema prisional brasileiro.

Inteligências

Outra crítica frequente do professor é em relação aos confrontos policiais que terminam com a morte de suspeitos. Em uma entrevista em 2016, ele também reforçou a importância da relação da polícia com a comunidade.

"Polícia comunitária, que é a aproximação da polícia na comunidade, nós perdemos isso. Aí chega aquela força de reação, só aquele braço forte que entra. A polícia dentro da comunidade, além dela tirar essa polarização - polícia de um lado, comunidade de outro - é uma excelente fonte de informação".

Agora, ele diz que uma das primeiras ações como secretário será atuar para evitar os confrontos que terminam com mortes. Em 2017, 70 pessoas morreram durante operações policiais. Em 2016, foram 58.

"Fortalecendo as inteligências, as diversas inteligências que nós temos nas forças de segurança. Para que o policial, quando ele vá para uma ocorrência, tanto o policial civil como o policial militar, ele tenha o máximo de informações, pleno conhecimento do que está acontecendo, qual é a região, o que ele vai enfrentar, que tipo de armamento, que tipo de pessoal. E, com isso, montar uma estratégia que efetivamente acaba minimizando as mortes e chegando ao ponto que se espera da neutralização do conflito".

Mudanças

Ainda não há uma data para que Alceu assuma a Segurança Pública. A expectativa é que isso ocorra a partir do dia 20 de fevereiro, depois que Eduardo Pinho Moreira (PMDB) assumir o governo estadual no lugar de Raimundo Colombo (PSD).

Outras mudanças também serão feitas na cúpula da Segurança Pública. O coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes, subcomandante da Polícia Militar, vai assumir o comando geral da corporação, enquanto o delegado-geral adjunto Marcos Ghizoni Junior da Polícia Civil vai chefiar a instituição.

Fonte: G1 Santa Catarina
Link de origem
Revisão e responsabilidade do site

Todos os direitos reservados © 2018

| Rádio Sentinela do Vale - Rua São Pedro, 245 - Centro / Gaspar | Telefone: (47) 3332-0783

by SoftD