Secretaria de Agricultura Confirma dois casos de Raiva Bovina em Gaspar - Rádio Sentinela do Vale

Gaspar / SC
24 de Agosto de 2019

Página Inicial Rádio Sentinela do Vale!

Rádio Sentinela do Vale

Programação

Programa Alegria Alegria

12:00h

Programa Alegria A...

Ouça Agora

Musical Sentinela

13:00h

Musical Sentinela

Na sequência



Secretaria de Agricultura Confirma dois casos de Raiva Bovina em Gaspar

07/05/2019 09:28

A Secretaria Municipal de Agricultura de Gaspar, confirmou na manhã desta terça-feira, 07, o registro de dois casos de raiva bovina, na área rural de Gaspar, os animais contaminados, são de duas propriedades próximas uma da outra, na região do bairro Arraial em Gaspar.Conforme André Waltrick Secretário Municipal de Agricultura e Aquicultura de Gaspar, nos últimos 30 a 35 dias foram feitas pelos veterinários da secretaria as duas notificações das sintomatologias nervosas naquela região, logo após a Cidasc fez coleta de sangue dos dois animais, para exames laboratoriais e na última sexta-feira, 03, os resultados confirmaram positivo para raiva bovina.

Nesse momento a secretaria de Agricultura está desenvolvido um trabalho de vigilância na região do foco e ao redor do foco, que abrange uma área de 12 quilômetros dando atenção as propriedades que ficam a menos de três quilômetros dos locais onde foram confirmados os casos.

Estamos indo até estas propriedades e solicitando aos produtores para que vacinem urgente os animais contra raiva e solicitando aos produtores para que vacinem urgente os animais contra raiva e façam uma vigilância observando se eles "se eles estão sendo atacados por morcegos”, explicou" o secretário.

Todas as pessoas que estiveram com esses animais contaminados, foram vacinadas contra a raiva

Reportagem: Júlio Carlos


Sobre a Doença

A doença pode ser passada também para o homem. A transmissão ocorre por meio da saliva ou de mordidas e arranhões de animais contaminados. Mas para identificar os casos, é preciso aguardar a morte do animal e só então os exames são feitos.

Sintomas

- Perda de apetite
- Agitação
- Mudança de hábito (procuram esconder-se, mantêm-se imóveis ou deitados em um só local)
- Dificuldade em se deslocar
- Dificuldade de engolir água e alimentos
- Andar cambaleante
- Salivação intensa
- Tremores
- Alteração no mugido
- Fezes secas, escuras e com sangue
- Agressividade e dificuldade em se levantar

Como vacinar

- A primeira deve ser feita por volta dos três ou quatro meses de idade. Ver a indicação do fabricante da vacina
- Reforço 30 dias após a primeira vacinação
- Revacinação anualmente ou conforme as normas do serviço de Defesa Sanitária Animal da região

Cuidados importantes

- Sacrificar o animal que apresentar sinais de raiva. (não consumir a sua carne)
- Isolar o animal do restante do rebanho e evitar manejá-lo
- Não colocar a mão na boca do animal que parecer engasgado
- Procurar imediatamente o posto médico quando sofrer agressão por animal doente, mas antes, lavar a ferida com bastante água e sabão
- Procurar o médico veterinário
- Trabalho de captura só pode ser realizado por pessoas treinadas e autorizadas
- Não colocar medicamentos curativos na ferida (para identificar: a ferida feita pelo morcego forma um cordão de sangue, diferente das outras).

Secretaria de Saúde de Gaspar alerta sobre o caso de raiva humana registrado em SC (Gravatal) após 38 anos

A Secretaria de Saúde Municipal de Gaspar, através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV), da Secretaria de Estado da Saúde (SES/SC), informa que foi confirmado pelo Laboratório Instituto Pasteur (IP) o diagnóstico laboratorial de raiva para o óbito de uma paciente de 58 anos, residente em área rural do município de Gravatal, ocorrido no último sábado (4 de maio de 2019). As amostras foram encaminhadas para São Paulo pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/SC). Santa Catarina não registrava casos de raiva em humanos desde 1981, quando um paciente de Ponte Serrada foi vítima da doença. Já os últimos casos de raiva em cães e gatos foram registrados em 2006, nos municípios de Xanxerê (01 cão e 01 gato), Itajaí (01 cão), e em 2016, em Jaborá (01 cão).

   Técnicos da DIVE/SC estiveram nesta segunda-feira (06) no município de Tubarão reunidos com a Gerência Regional de Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde de Gravatal e Capivari de Baixo, a CIDASC (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina) e a UNISUL para o desenvolvimento de ações, conforme o protocolo do Ministério da Saúde, considerando que Santa Catarina é área controlada para raiva animal no ciclo urbano. As ações envolvem a vacinação casa a casa de cães e gatos em um raio de cinco quilômetros a partir da residência da paciente, bem como busca ativa de animais doentes e mortos e orientação a população. “Além disso, se a pessoa for agredida por um cão ou qualquer outro animal, é muito importante que procure um serviço de saúde mesmo se o ferimento não for grave, pois pode haver a necessidade de tomar a vacina contra a raiva", afirma João Fuck, gerente de Zoonoses da Dive/SC.

   A raiva é uma doença 100% letal, com incubação de 10 dias a 02 anos, transmissível de mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, macacos, morcegos para o ser humano através de mordeduras, arranhaduras e lambeduras. O vírus atinge o sistema nervoso central levando a morte após pouco tempo do início dos sintomas.

   Assim, a SMS alerta que todas as pessoas agredidas por mamíferos procurem imediatamente uma unidade de saúde para relatar o caso. A Vigilância Epidemiológica é notificada no mesmo momento que o paciente procura atendimento e a partir daí determina a observação do animal por 10 dias ou o tratamento do paciente agredido com vacina ou soro antirrábicos, cumprindo protocolos do Ministério da Saúde.

   A Superintendente de Saúde do Município, Lizandra H. Junges afirma ainda a importância da população não eliminar o animal que comete a agressão, caso seja cão ou gato, pois faz parte das ações da vigilância epidemiológica local a observação e monitoramento deste por 10 dias após o contato destas duas espécies animais com o ser humano.

Todos os direitos reservados © 2019

| Rádio Sentinela do Vale - Rua São Pedro, 245 - Centro / Gaspar | Telefone: (47) 3332-0783

by SoftD